Feb 21, 2015

Frases de Empreendedores

Abaixo segue a primeira parte das frases de empreendedores que farão parte do livro Gigantes pela própria natureza; histórias de empreendedores mato-grossenses, EdUFMT, no prelo,


Conhecimento e formação
“Nós somos formados na faculdade Avon.” (Rosilene Q. F. dos Santos).
“A Nestlé foi a minha faculdade.” (José Gonçalves Duarte).

“Uma pessoa bem preparada tem dois elementos: primeiro a honestidade e segundo certa experiência em administração.” (Celso Duca).

Conhecimento inicial do negócio
Fui aprendendo na prática.” (Donizete Aparecido de Souza).

Dificuldades
“Eu estava sem carro, ia de bicicleta. Nos dias de chuva voltava todo enlameado para casa. As vezes, dá vontade de desanimar. (Gilberto Mendes da Silva).

Empreendedorismo

 “Uma das principais questões que hoje reconheço: Vocação. Não! Eu não tenho vocação para empresário, demorei pra descobrir.” (Salvy Bosco de Rezende). Sobre as semelhanças e diferenças entre ser empresário e ser empreendedor.

“No primeiro dia que sai de casa, dormi na rodoviária (PARA NÃO GASTAR). Eu tinha R$ 5,00 na carteira e comprei dez ou quinze agulhas de fogão. Fui batendo de casa em casa e a tarde eu já tinha R$ 25,00.” (Suedir Ribas).
 Ah! O entusiasmo nasce da vocação da gente. Não sei onde encontro tanta energia.” (Celso Duca).
Empreendedor # Empregado
“Eu me sinto livre.” (Wilson Ramos Filho – sobre a vantagem de ser autônomo em relação a um empregado tradicional).

Faz o que gosta
“Eu quero morrer dentro daquele barracão ali (indicando a fábrica) segurando uma barra de queijo ou pelo menos a massa dele. Sou muito feliz junto ao laticínio.” (Lazara Eudália Barboza).

Ganhar dinheiro
“Nunca fui ambicioso, sempre fui um pobre conformado, nunca quis ter nada e acabei tendo muita coisa que não fazia parte dos planos.” (Márcio Monteiro).

Gestão
“A empresa não tem sucesso se não inovar, se não criar, se não estiver presente. A cada dia estamos mudando.” (Ico).

Gestão de organizaçoes sociais Social
“A cooperativa é uma empresa. Não faça uma equipe de caridade porque irá afundar, e afundando prejudica todos.” (Celso Duca – Sobre a confusão entre caridade e administração das cooperativas.).

Influência para se tornar um empreendedor
“Minha mãe teve o primeiro comércio, então desde pequeno a gente vivia nessa história de ter o negócio próprio, de ter espírito empreendedor.” (Mara Prado).


Origem dos recursos para iniciar o empreendimento
“[...] se tiver alguém que tem uma boa ideia e que tenha a coragem de fazer, ele não precisa ter o recurso.” (Adilson Jacinto).

“[...] estava sem dinheiro para a instalação da rádio. Fui à Igreja de Todos os Santos e pedi um espaço [...] optamos por colocar no banheiro do salão de festas [...] e Começamos a Rádio Comunidade FM.” (Antonio Pauli). Sobre as dificuldades de iniciar a Rádio em Sinop. Iniciaram a empresa no banheiro. Quem quer consegue. Gigantes [...] no prelo

Planejamento
[…] a gente tem que montar um negócio que as pessoas precisem comprar e não que eu precise vender.” (Joel Gonçalves Filho).

“Sempre escutei mais do que falei.” (José Alves Piedade).

“― Sejam honestos, pontuais, tenham moral e humildade. Não se deixem iludir. Seja sempre você mesmo, não queira ser o que você não é. Meu pai me ensinou: Se você tem condições de comprar uma bicicleta, compre uma bicicleta e não um carro novo.” (Sérgio Ferrarini).




Dec 10, 2014

Qualidade de Vida - Gabriel Novis Neves

Mensagem reproduzida com autorização do autor.

On Fri, 05 Dec 2014 15:18:36 +0100, Associação dos Docentes da > Universidade Federal de Mato Grosso | AdufMat wrote >> Espaço Aberto nº 221/2014 >>         >> ESPAÇO ABERTO >> Debate de ideias – Informativo da Associação dos Docentes da UFMT   - >> ADUFMAT - nº 221/2014 >> >>         >> >>         Artigo enviado pelo Prof. Gabriel Novis Neves. >> >>         >> >>        Qualidade de vida >> >>            Quanto mais estudo ciências sociais, mais me sinto > frustrado. >> Estamos caminhando há séculos por estradas vicinais ao >> desenvolvimento humano. >> >>            Enquanto nações pobres conseguem nos ultrapassar > em qualidade >> de vida pela estrada da correta educação, permanecemos em estado de >> verdadeira letargia, mentindo para nós mesmos. >> >>            De acordo com os últimos dados sociais e > econômicos divulgados >> pelos organismos competentes, tenho a nítida impressão de que estamos >> a caminho do empobrecimento, sobre todos os aspectos. >> >>            O cidadão brasileiro não conhece os seus direitos, > logo, não >> vivemos em uma democracia que expresse a opinião nacional. >> >>            Na hora de votar cada eleitor está pensando em sua > sobrevivência. >> >>            Quem define o resultado das eleições são as nossas >> necessidades, e isso tem um preço altíssimo. >> >>            Nosso maior vexame continua sendo a péssima > qualidade do ensino. >> >>            Apenas o ensino fundamental que está, > equivocadamente, >> universalizado. O pior é que a nossa escola não ensina cidadania às >> crianças. >> >>            Há oferta de uma infinidade de disciplinas que não > “abrem a >> cabeça do aluno”, afastando-o do aprendizado. É um crime contra a >> pátria. >> >>            Sabemos que quem decide eleições em países como o > nosso, >> considerado em desenvolvimento, são aqueles maiores de dezesseis >> anos, que não tiveram oportunidade de acesso a uma boa escolaridade. >> >>            A nossa atual escola cria, em sua maioria, > desigualdades sociais, >> e hoje carregamos esse troféu no grupo dos países marginalizados do >> desenvolvimento social e econômico. >> >>            Esse é o nosso presente, onde ainda estão vivos na > nossa >> memória fatos como a saída do Collor do governo, o mensalão e, >> recentemente, o assalto à Petrobrás. >> >>            Recordamos com emoções extremamente penosas esses > momentos que >> ainda, de muito recentes, não passaram à nossa história. >> >>            A opinião pública não elege presidentes. Quem tem > bolsa >> família vai se incomodar com a corrupção ao votar? >> >>            Mais sensíveis aos assaltos cometidos por agentes > públicos >> contra o erário público e sobre o comportamento aético dos nossos >> políticos e governantes, são os pertencentes à classe média, os >> profissionais liberais, enfim, todos muito sobrecarregados com os >> altos impostos pagos. >> >>            Com a população educada, informada, independente > das bolsas >> para sobrevier, nasce a opinião pública capaz de mexer no tabuleiro >> do xadrez político alterando seus resultados. >> >>            O governo, porém, nega este instrumento à nossa > gente, com o >> propósito único de se perpetuar no poder. >> >>            O Brasil precisa criar uma identidade. Precisamos > urgentemente do >> surgimento de figuras modelares para se tornarem heróis nacionais. >> >>            Consta que temos apenas um herói nacional – > Tiradentes. >> >>            Outros que aparecem nos livros escolares são > contestados. >> >>            Mitos povoam nossa imaginação, a começar por > aquele que diz >> que o povo brasileiro é cordial. >> >>            Acreditamos viver em uma República Democrática. > República é >> virtude, bom governo. Democracia é inclusão social. >> >>            Avançamos um pouco no terreno democrático. No > entanto, na >> república, não progredimos muito, e os escândalos de corrupção estão >> aí para comprovar. >> >>            Conquistamos o direito ao voto para elegermos > nossos >> representantes. Mas, todos sabem que não é bem assim. >> >>            Não é um direito, é uma obrigação – um convite à > corrupção. >> >>            Obrigatório deveria ser o ensino e a cidadania, > caminhos únicos >> para alcançarmos a qualidade de vida para todos. >> >>            Gabriel Novis Neves >> >>            24-11-2014 

Nov 23, 2014

Falta de respeito ao cidadão mato-grossense: São Paulo x Santos

Acabo de ler no Estado de São Paulo: O Tricolor paulista vai com time reserva devido a vitória do Cruzeiro. E o respeito ao torcedor? Quem comunicou esse fato para quem iria comprar e assistir o clube do coração  após 18 anos de ausência em solo cuiabano? Respeito ao consumidor ZERO. Ah! E só aceitavam dinheiro, nada de cheque ou qualquer tipo de cartão. Para comprar meia entrada só apresentando a carteira de estudante brasileira, internacional não vale. Espero que o jogo seja pelo menos agradável.